quinta-feira, 19 de julho de 2018

Antigamente chamavam-lhe prévia

Durante a longa noite fascista chamavam-lhe prévia. Agora, com o totalitarismo desempenado da Nova Esquerda, preferem preventiva. Mas, no fundo, é a mesma coisa, a mãozinha que tenta calar.



quarta-feira, 18 de julho de 2018

Uma resposta acertada.

Atendendo ao que realmente as tecnologias de informação e comunicação mudaram no mundo e nas pessoas, estou convencido da justeza disto.



segunda-feira, 16 de julho de 2018

Amanhã, hoje será ontem.

Como me sinto hoje, só o asturiano Ángel González (Oviedo, 1925 – Madrid, 2008) sabe. E amanhã, em que hoje já será ontem..?
QUÉDATE QUIETO
Deja para mañana
lo que podrías haber hecho hoy
(y comenzaste ayer sin saber cómo).
Y que mañana sea mañana siempre;
que la pereza deje inacabado
lo destinado a ser perecedero;
que no intervenga el tiempo,
que no tenga materia en que ensañarse.
Evita que mañana te deshaga
todo lo que tu mismo
pudiste no haber hecho ayer.
101 + 19 = 120 POEMAS (Colección Visor de Poesía, Ed. Visor Libros, 2000)

(VVG, 1890)
Uma tradução rápida:
FICA QUIETO
Deixa para amanhã
O que podes fazer hoje
(e começaste ontem sem saber como).
E que amanhã seja amanhã sempre;
que a moleza deixe inacabado
o destinado a ser morredouro;
que não intervenha o tempo,
que não tenha matéria para encarniçar-se.
Evita que amanhã te desfaça
Tudo o que tu mesmo
Podias não ter feito ontem.