quarta-feira, 11 de julho de 2018

E pronto!

Quando dizemos que o Estado português é corrupto, nem sempre estamos a falar da facilidade com que se compra um favor deste ou daquele funcionário nem da circulação imparável de prestadores de altos serviços entre o mundo da política e o das empresas instaladas. A prova é este tipo de decisões, que ocorrem diariamente, mostrando que tudo funciona sempre no mesmo sentido. Afinal, usar um PPR para pagar uma casa é legal, mas há um regulamentozinho qualquer que diz que só pode fazer-se com o pagamento de juros, em dobro, aos bancos amigos (que são, por definição, todos).



Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!