quinta-feira, 28 de junho de 2018

Marcelo na América

(LUSA - António Cotrim)

O Professor Marcelo não para. Foi ver a bola à Rússia, onde conviveu com Putin, e já está nos Estados Unidos a trocar afetos com Trump. À falta de outro assunto, lá voltou a conversa da bola. O Professor disse a Trump que (cito o Público, que faz uma transcrição aproximativa daquela conversa da treta) «se fosse à Rússia, deveria ir assistir a um jogo de Portugal, onde joga o melhor futebolista do mundo». Trump aproveitou para gracejar: «E o Cristiano pode candidatar-se contra si?».
Marcelo não hesitou: «Não venceria. Portugal não é os Estados Unidos, é um pouco diferente».

Descontando a parte de Portugal não ser, infelizmente, os Estados Unidos, não se entende bem o que, neste aspeto das eleições, nos distingue. Eles elegeram um apresentador de concursos televisivos, nós um comentador televisivo de assuntos ocos. É mesmo assim tão diferente?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!