domingo, 18 de fevereiro de 2018

E, afinal, quando passa a semanário?

Não tenho grandes dúvidas de que a imprensa portuguesa é um espaço sórdido de comércio de influências, embora, por vezes, o baixo nível seja surpreendente. A capa de hoje do DN, por exemplo, mostra-nos a pose de estadista de Rui Rio, que daqui a umas horas deverá ser eleito para liderar um popular partido político. Ah! Não é Rui Rio, mas sim um comentador televisivo, uma futura reserva moral da nação? Mas ainda há dois ou três dias li o editorial do diretor Baldaia, a insurgir-se contra o tratamento que a imprensa estava a dar a Rui Rio, pretensamente por ele ser um provinciano do Porto e não um amaricado político da capital!
Depois, claro, perguntam-se porque este outrora respeitado Diário vai desaparecendo de cena... 



Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!