segunda-feira, 17 de julho de 2017

Convergências...


Este blogue não é muito dado a questões técnicas, mas por vezes as estatísticas, acreditem, explicam certos fenómenos sociais e políticos.
O que chama a atenção neste gráfico apresentado pela Agência para o Desenvolvimento e a Coesão, num recente Seminário Internacional, é a evolução do Produto Interno Bruto per capita (em Paridade do Poder de Compra Padrão - PPS) nas diversas regiões portuguesas, medindo a convergência /divergência dessas regiões entre si e com a média europeia.
Ali temos, preto no branco, o que se passou em Portugal nos anos recentes: uma oscilação medíocre em torno dos 75% da média comunitária, com apenas uma região acima desta média. Reparamos num fenómeno de "convergência", ali logo a seguir ao início da última grande crise económico-financeira (2007-2008, prolongando-se até 2010 e à entrada da Troika), resultado do investimento /gasto público irresponsável do governo Sócrates que, como toda a boa aposta socialista, levou a tal região representada a vermelho mais para os píncaros (nesta altura já os outros países europeus tinham dado conta que alguma coisa se passava, e estavam a retrair-se). Depois, vieram os anos da austeridade, em que o mais evidente é o que parece ser uma recuperação ténue de todas as regiões, exceto da que está representada a vermelho.

Ora isto explica muita da sanha das "elites" contra Passos e a PàF. A corte lisboeta começou a passar uma certa fomeca. E mexeram-se.
Aposto que 2015-17 já nos vai mostrar a inversão do ciclo, com o turismo, as pontes aéreas da TAP, a nova Secretaria de Estado da Construção Civil e Subsídios à Habitação no Centro de Lisboa, etc. A corte está em paz, e os plebeus que andam por aqui à minha volta regozijam-se, não vendo que estão a pagar a festa.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!