sábado, 13 de maio de 2017

O Milagre Socialista ou o Quarto Segredo de Fátima

"Refira-se que os tais profissionais da GNR que estão a dormir em colchões no chão, sem lençóis ou cobertores, sem condições para tomarem banho e sem acesso a refeições dispensam a ironia da sra. ministra, quando refere que ‘o ideal seria alojá-los em hotéis de cinco estrelas’. Aliás, é no mínimo insultuoso que a responsável da tutela ironize com a situação, sendo certo que há uma questão de princípio que parece esquecer-se: os profissionais da GNR não estão em penitência, estão em trabalho".
(Comunicado da Associação dos Profissionais da Guarda APG/GNR, 12 de maio de 2017).

É verdade, a ministra Constança Grosseiro de Sousa disse mesmo aquilo ("Naturalmente, o ideal seria alojá-los em hotéis de cinco estrelas, não existem na região, não é possível. Portanto, estão numa situação meramente provisória, extraordinária para uma missão única.”)
Foi da emoção, certamente. Não de ver a Virgem nem o Papa, mas esta imagem tocante: o primeiro-ministro, em pose de GNR, ao lado da mulher do primeiro-ministro e da filha do primeiro-ministro, segurando velinhas, durante a madrugada, em Fátima. Estavam também, a compor o beato ramalhete, o Professor Marcelo, de velinha na mão, a ministra do Mar e o ministro da Administração Interna, de velinha na mão e uma senhora desgrenhada. Uns em êxtase religioso, outros a pensar no que estariam a fazer ali, outros a dar mais um passo para a canonização política.

© Global Imagens
Desta história fica-me uma certeza: houve um Milagre em Fátima. Não sei se o da conversão socialista (como disse o Peregrino Marcelo, "Mesmo o senhor primeiro-ministro e família, que aqui estão, independentemente de comungarem ou não de uma determinada fé, sabem, como eu sei, que neste momento já não há representação do Estado, há peregrinação espiritual") ou se o facto da senhora Dona Constança ainda ser ministra, depois do que disse.
A Fé move montanhas. O Portugal Socialista é realmente especial.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!