quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Coisas sérias: a eutanásia

Vê-se que o assunto é sério e polémico.
Quer dizer, seria, se não houvesse excesso de população no mundo (na sua maior parte, gente pouco recomendável). Assim, num mundo em que muitos inocentes morrem ser ter tido oportunidade de viver, a questão não pode, não deve, colocar-se em termos gerais e, muito menos, legislativos. Pode, e deve, colocar-se em cada caso: esta pessoa, em concreto, tem ou não direito a morrer?
É por isso que eu sou a favor do referendo, mas um referendo caso a caso, quando chegar a hora de cada um: concorda que se faça a vontade ao senhor fulano de tal, atacado por uma doença terminal e que, em seu perfeito juízo, diz que quer que o matem ou deixem morrer?









Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!