domingo, 8 de janeiro de 2017

Memórias de um reacionário 1

Estou retido no leito e vou sabendo do que se passa lá fora. Daniel Serrão, Guilherme Pinto, Mário Soares, está tudo a morrer. Devo começar a preocupar-me? Pelo sim, pelo não, vou tomando notas para escrever as minhas memórias.


Começo pela invasão do Iraque, em 2003, e pelas armas de destruição maciça. Lembro-me bem dos hoje desacreditados e "manipulados" relatórios da CIA, e da forma desabrida com que foram, e são, tratados os que acreditaram neles (ou lhes dava jeito dizer que acreditavam). Bush, Aznar, Blair, Barroso... uns crápulas. Felizmente, a CIA aprendeu, e hoje nenhum dos nossos sábios tem dúvidas de que os relatórios sobre a interferência da Rússia nas eleições americanas são rigorosos.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!