sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O que vier aí será merecido...


O atual primeiro-ministro disse, numa entrevista qualquer, que o governo anterior foi de grande irresponsabilidade na forma como tratou a questão da banca portuguesa.
"Por sua responsabilidade, destruiu um banco como o Banco Espírito Santo, conduziu à destruição de um segundo banco, caso do BANIF, e se não tivesse mudado o Governo, gostava de saber quantos mais bancos teriam sido destruídos".
O que está realmente a fazer é a elogiar o governo anterior que, com todos os seus defeitos, pelo menos agiu de forma decente: são os donos dos bancos e os seus clientes que têm que resolver o seu próprio problema, não os governos e os contribuintes.
Compreendo que este político habilidoso ande a contentar a imprensa e os seus donos. Para ele, má política é impedir o Estado de fazer "negócios" obscuros com os banqueiros; boa política é colocar dinheiro público a disfarçar a gestão incompetente, corrupta e comprovadamente criminosa dos amigos de alguns. Mas custa-me entender a popularidade deste governo entre o povão.

Ou estaremos todos a mentir nas sondagens?


Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!