sábado, 26 de novembro de 2016

O Anjo Exterminador

(El País)
Há, por esse mundo fora, um conjunto de governantes que, escolhidos pelos deuses ou pela Kalashnikov, se mantêm no seu trono durante muitas décadas, sem respeito pela dignidade dos seus povos. Mas parece ter chegado a sua hora, pelas mãos de um justiceiro abençoado pelas audiências: o Professor Marcelo. Ao contrário do que eu pensava, ele não é um artista vaidoso que apenas quer ser visto com gente famosa no mundo inteiro, mas sim um verdadeiro paladino da democracia. Ele é a Nemésis dos eternos ditadores. Fidel Alejandro, o déspota, que o diga. E Elizabeth Alexandra Mary, a do sangue azul, que se cuide.


4 comentários:

  1. Os cuidados de saúde melhoraram tanto em Cuba, desde o Batista, que até parece impossível que "el Comandante" tenha morrido...
    Oxalá não reabram o prostíbulo, que o amor livre é muito mais saudável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reabrir? Mas nunca esteve tão aberto como nos gloriosos anos de Fidel... É verdade que a combinação embargo/ditadura deixava poucas hipóteses ao povo cubano.

      Eliminar
  2. As três grandes vitórias da revolução cubana? A educação, a saúde e o desporto. Os três grandes fracassos? O pequeno-almoço, o almoço e o jantar.

    ResponderEliminar

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!