sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Para acabar de vez com o Nobel da Literatura

Pontos nos ii: o prémio Nobel da Literatura já foi atribuído a muitos escritores menores, alguns insignificantes, ao passo que os maiores homens das letras do último século não foram reconhecidos. Georges Simenon (o maior de todos), William Somerset Maugham, Graham Greene: onde está o Nobel deles? (Os outros dois escritores do meu top 5 pessoal são Vargas Llosa, Nobel 2010, e Salman Rushdie, que o ganhará daqui a alguns anos). Isto indigna-me e desvaloriza o caneco.

Premiar Bob Dylan é, apenas, uma forma de um grupo de pândegos noruegueses agitar as águas paradas à sua volta. Será, mesmo, um sinal de reconhecimento de uma Literatura que também se exprime de outras formas que não as letrinhas pretas em fundo claro? Nesse caso, já tenho favorito para o Nobel de 2017: Enes Bilalović, dito Enki Bilal, de Belgrado.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!