terça-feira, 24 de maio de 2016

Cães de guarda


Aqui em Bilbau, o cachorro plantado pelo ex-marido da política ítalo-húngara Elena Anna Staller monta guarda, à porta de uma pinacoteca folclórica. É feito de flores - cravos e outras - e lembra-me o regime totalitário que se vai insidiosamente implantando no país que já foi dos porcos ciclistas e agora é das vacas voadoras.
De lá, chegam-me notícias de arrepiar, de tribunais que condenam pessoas por chamar traidores aos que acham que os traíram e de entidades reguladoras e comissões parlamentares que perseguem jornalistas porque falaram em público do que era preferível que não se falasse.
É, também, um país onde os cães se cobrem de cravos, mas cuja dentada transmite raiva. Cuidado, hoje parecem só morder aqui e ali, mas a matilha está a crescer e a cercar-nos!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!