quinta-feira, 5 de maio de 2016

As favas da Formiga

 Atenção, esta posta é só para iniciados nos mistérios da Vicia faba. Os leigos devem abster-se!

PARA TE TORNARES INVISÍVEL
Mata um gato preto e enterra-o no teu quintal, colocando uma fava em cada olho, outra debaixo da cauda e outra em cada ouvido. Depois de tudo isto feito, deves cobri-lo de terra e regá-lo todas as noites, ao soar da meia-noite, com um pouco de água, até que as favas, que devem ter rebentado, estejam maduras. Quando estiverem nesse ponto, corta-as pelo pé.
Depois de cortadas, leva-as para casa e coloca uma de cada vez na boca. Quando perceberes que estás invisível, é porque a fava que acabas de pôr na boca tem o poder de deixar-te invisível. Leva-a sempre contigo e, todas as vezes que quiseres entrar num lugar sem ser percebido, é só colocá-la na boca.
(D' O Livro Negro de São Cipriano)

PARA TE DELICIARES
Na véspera, corta entrecosto de porco em pedaços e tempera com sal e pimenta. Adiciona também os dentes de alho picados, o pimentão doce e o vinho. Mistura muito bem e reserva num recipiente, deixando a marinar no frio de um dia para o outro. Descasca a cebola e pica-a. Deita-a para um tacho, junta o azeite e leva ao lume, deixando cozinhar até a cebola ficar dourada. Acrescenta o entrecosto com o molho da marinada e o chouriço. Tapa o tacho e deixa cozinhar durante 20 minutos.
Acrescenta as favas ao tacho e cobre-as com água quente. Mistura, deixa ferver, verifica o sal e deixa cozinhar até as favas ficarem tenras.
Serve quente.
(D' O Verdadeiro Livro da Vida)

Que tolice seria desperdiçar estas, tão verdes e tão tenrinhas, numa mezinha inútil! Nós não hesitámos, e preferimos a mesinha. Resultou, pois ficaram invisíveis em dois tempos...


2 comentários:

  1. Seja embora apócrifo o livro do santo, Cipriano não deixa de ser um desmancha-prazeres, e mais vale não seguir. Entre a invisibilidade e o prazer faval, escolho o último, sem pestanejar. Curiosamente, cá por casa, hoje o almoço também vai ser de favas de Constância.
    Ficou-me a curiosidade do acompanhamente vínico...Duriense?

    ResponderEliminar
  2. Na mouche. Um modesto Cancellus Reserva, não me lembro do ano. Vila-realense.

    ResponderEliminar

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!