quarta-feira, 20 de abril de 2016

O pardal e o pavão


O pardal saltitava na pedra, bicando aqui e ali, um pouco espalhafatoso. Não conseguia, coitado, que lhe dessem a atenção que julgava merecer. A sua cor camuflava-o, quase na perfeição, naquelas lajes de granito cinzento, onde se confundia com as marcas do tempo. Já o pavão, movendo-se lentamente e em silêncio, tentava desmentir a sua fama de vaidoso. Julgando-se discreto, o pobre diabo quase rastejava na relva verde. Mas o brilho e a exuberância das penas desmascaravam-no, para sua grande vergonha.



2 comentários:

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!