quinta-feira, 21 de abril de 2016

A volta dos oxímoros? Nem tanto...


No cabeçalho principal do Diário de Notícias de hoje, mais do que um paradoxo, temos aquilo que seria uma impossibilidade em Portugal: um governo a empurrar cortes de despesa ou subidas de impostos para o «fim da legislatura» (leia-se: vésperas de eleições). Claro, isto se não estivéssemos em presença do «príncipe da política», António Costa: ele não pretende que esse fim da legislatura ocorra daqui a quatro anos, mas num momento mais oportuno (daqui a uns meses ou um ano, as sondagens o dirão), para que depois possa sair vencedor, à sua maneira. Se ganhar as eleições, os cortes já passam a fazer-se no início da (próxima) legislatura; e se perder, os outros que resolvam.
É, realmente, um «príncipe»...


Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!