segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Henning Mankell (1948-2015)

O escritor e dramaturgo sueco Henning Mankell morreu tranquilamente esta noite, em Gotemburgo, com 67 anos de idade.

©Lina-Ikse, 2015
Tomo a decisão de fazer hoje exatamente o mesmo que faço em todos os outros dias de inverno. Visto o meu roupão, enfio os pés num par de galochas de cano curto, pego no meu machado e encaminho‑me para o pontão. Não demoro muito a abrir o meu buraco no gelo: a área que costumo partir ainda não teve tempo para endurecer de novo. Em seguida dispo‑me e salto para a água lamacenta. Dói, mas quando me arrasto para fora tenho a impressão de que o frio foi transformado num calor intenso.
Todos os dias salto para o meu buraco negro, para ter a sensação de ainda estar vivo. Depois é como se a minha solidão se desvanecesse lentamente. Talvez um dia morra do choque provocado pelo mergulho na água gelada. Como os meus pés chegam ao fundo, posso ficar de pé na água: não desaparecerei debaixo do gelo. Ficarei ali de pé, enquanto o gelo solidifica de novo, rapidamente. Será aí que Jansson, o homem que entrega o correio nas ilhas do arquipélago, me encontrará.
Por muitos anos que viva, nunca compreenderá o que aconteceu.

In «Sapatos Italianos», Editorial Presença, 2012.

2 comentários:

  1. Infelizmente, não conhecia, nem nunca li nada dele. Mas este excerto que citou deixou-me, pelo menos, com curiosidade por mais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era o genro do Ingmar Bergman. Já falei dele aqui várias vezes, porque, dentro dos escritores policiais, era do melhor que o pós -Simenon nos trouxe...

      Eliminar

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!