sábado, 17 de outubro de 2015

Enlatado de outono

 Dei uma volta pelos jardins de Serralves e pelas exposições no MAC. Nada de novo: o outono enlatado e servido em belas alamedas, a arte contemporânea adequada ao público aburguesado.

Arte zen, que não inquieta. Interroga pouco e, sobretudo, não se interroga nada - exceto na velha pergunta de alguns decoradores que ali se expõem: terei ficado bem na foto? Em linha com a nova política cultural da cidade do Porto, pomposa, palavrosa, narcisista. Mais os copos e color runs, que aliás já tínhamos com Rui Rio.

No final, acabamos sempre por recordar apenas as cores do outono, lá fora, agitadas pelo vento que, hoje, sopra forte.


Helena Almeida: Inhabited painting (1975).
Da exposição «A minha obra é o meu corpo, o meu corpo é a minha obra».
Ou ao contrário, já não me lembro.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!