sábado, 12 de setembro de 2015

Uma fotografia, de vez em quando (69)

(O título da posta é surripiado a alguém, para lhe evitar o número embaraçador).

Os bem-pensantes dizem e repetem que não é «civilizado», na campanha eleitoral, falar da governação socialista antes de 2011, porque isso é «trazer Sócrates» ao debate. E trazer Sócrates ao debate é recurso de maus políticos, é «misturar a justiça com a política». Como se Sócrates não tivesse sido um político marcante em Portugal, e como se a semelhança das propostas do PS atual com a governação de então e a cumplicidade de Costa (que foi ministro de Sócrates) com essa governação não fossem relevantes. Como se não fossem, aliás, a única coisa relevante nestas eleições.

Mas Costa sabe disso, os bem-pensantes que nos trazem a sua palavra sabem disso e, sobretudo, Sócrates sabe disso. E não abdica de ser o verdadeiro candidato socialista, por muito que alguns tentem esconder o elefante no meio da sala.

Dois jornalistas /opinadores, de lados opostos da política, dizem-nos isso mesmo, em crónicas recentes. Fernanda Câncio, em quem reconhecemos uma putativa ex-namorada de Sócrates, escreveu no DN (Big Brother Sócrates): « Não há, pois, volta a dar: Sócrates está no centro da campanha. Porque os media querem, porque a coligação quer e, como a revelação, ontem, de uma foto no interior da casa tornou inegável, ele quer». E André Azevedo Alves, um economista católico, escreveu no  Observador (Sócrates, sempre): «Sócrates é, por direito e vontade própria, a figura central das próximas eleições legislativas. (...) São em larga medida o padrão e estilo de governação de José Sócrates – por contraste com os de Pedro Passos Coelho – que estão em causa nas próximas eleições».

De facto, o que pode justificar a referida fotografia, ao estilo Goodfellas e de autor anónimo (será uma selfie em piloto automático?), que correu o espaço público nos últimos dias, se não o assumir desta candidatura por Sócrates?





2 comentários:

  1. Respostas
    1. Repare que não estou à espera de agradecimentos: apenas o fiz para que o autor da série não me venha a privar do prazer de "ler" próximas fotografias, bloqueado por um sentimento de pudor excessivo...

      Eliminar

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!