domingo, 20 de setembro de 2015

Escrever com desenhos

 Hugo Pratt, em entrevista a Dominique Petitfaux (De l'autre côté de Corto, Casterman, 1990):

Sim, sou um autor, um autor de literatura desenhada. E, no enredo, gosto muito dos diálogos. Os meus diálogos não são os diálogos característicos da banda desenhada, poderíamos encontrá-los também num romance. Os meus desenhos existem em função dos diálogos. No fundo, sou um dialoguista, e portanto um escritor, um escritor que substitui as descrições - da expressão dos rostos, das poses, do ambiente - por desenhos (...) Quero que o desenho seja uma escrita que prolonga a escrita do texto (...) Para mim, o desenho é como uma caligrafia (...)


Continuar Corto, continuar a obra de Pratt, como o vão fazer Juan Díaz Canales (argumentista) e Rubén Pellejero (desenhador), já no próximo dia 23, é, assim, um desafio para uma escrita a duas mãos.


(Ilustrações retiradas da novela Sogno di un mattino di mezzo inverno, 1972).

Sem comentários:

Enviar um comentário

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!