sexta-feira, 4 de julho de 2014

Sophia, também

A poeta no Jardim Botânico do Porto.
Já que todos falam dela, o Linguado, plebeu, também homenageia e publica um poema de Sophia de Mello Breyner Andresen.

Este "Nasci no Porto", claro, que aqui não se dá ponto sem nó.
Nasci no Porto, a cidade e seus arredores
As praias próximas, descendo para sul
Permanecem para mim a pátria dentro da pátria,
A terra materna,
O lugar primordial que me funda...
Porque nasci no Porto sei o nome
Das flores e das árvores
E não escapo a um certo bairrismo.
Mas escapei ao provincianismo da capital.

2 comentários:

  1. Paulo Rocha, tripeiro também, costumava dizer qualquer coisa muito semelhante ao último verso deste poema de Sophia...
    Julgo que seria: "Ser provinciano, é copiar."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já vi a pequena polémica que o Arpose levantou em 2010 quando citou essa frase.

      Eliminar

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!