sexta-feira, 29 de novembro de 2013

O burro serei eu...

O jornal norte-americano (International) New York Times faz uma reportagem sobre o burro mirandês e as suas dificuldades de sobrevivência, apesar dos subsídios da União Europeia.


Uma (pouco) subtil metáfora à situação portuguesa, como concluem, histéricos, os nossos jornais?

No Diário de Notícias,

no Público,

ou no Jornal de Notícias


a leitura é a mesma, com pseudo-citações, traduções de excertos de frases e "aspas" muito pouco rigorosas.

Eu leio isto:
After decades of neglect and, some argue, misunderstanding, the fate of the donkey has come to resemble that of its human counterparts in hard-pressed European hinterlands: threatened by declining population and dependent for its survival on, yes, subsidies from the European Union.
Há uma comparação? Há, mas nem é necessariamente com a situação portuguesa, mas sim com as "hard-pressed European hinterlands" (as duramente pressionadas zonas do interior europeu).

Podemos até ler todo o artigo nessa perspetiva, de que há ali uma metáfora. Mas, nesse caso, convenhamos que será muito mais uma referência velada às políticas europeias de apoio aos territórios e atividades rurais e agrícolas, ou até à obsessão europeia com subsídios, do que à situação portuguesa.

Mais uma tentativa de incitar ao primarismo nas redes sociais, sempre cheias de gente inteligente e de sangue na guelra quando se trata de defender a honra da Pátria? Parece-me que sim, mas isso é a mim, que nasci perto das Terras de Miranda. Aguardo pelas reações no Facebook e nos blogues.

2 comentários:

  1. E será que o jornalista marcano saberá, geograficamente, onde fica Miranda...?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá no jornal até traz um mapazinho. Chamam-lhe "Tierras de Miranda", apropriadamente, pois em mirandês escreve-se mesmo assim.
      Mas posso confirmar: o ciberespaço já anda inflamado.

      Eliminar

Esteja à vontade para comentar. E escreva na língua que lhe apetecer, mas escreva bem!